Estação de Caminho-de-ferro de Santa Apolónia celebrou 150 ANOS no dia 1 de Maio








Com projecto da autoria de Angel Arribas Ugarte, a obra desenrolou-se sob o comando dos engenheiros João Evangelista de Abreu e Lecrenier, tendo ficado a edificação a cargo da empresa de construção Oppermann.

A inauguração aconteceu em 1 de Maio de 1865, nove anos após a primeira viagem de comboio em Portugal, que havia partido, a 28 de outubro de 1856, de um cais improvisado localizado perto do edifício atual.

Desta estação já partiram comboios a vapor e chegaram as mais modernas composições ferroviárias.

Foi local de partida e chegada de emigrantes, militares e milhares de anónimos que, em Lisboa, procuraram por melhores condições de vida.




A memória da passagem de reis, rainhas, diplomatas, políticos, líderes religiosos, músicos, cantores, conferem-lhe um lugar de destaque na história da cidade e do país.

150 anos depois da sua inauguração continua a ser ponto de partida e chegada para 150 comboios diários e a ser a estação privilegiada para os cerca de 240 mil passageiros que todos os meses por ela passam.

Apresenta uma fachada principal, simétrica, de estilo neoclássico, com uma nave de 117 metros de comprimento, 24,60 metros de largura e uma altura máxima de 13 metros, feita em alvenaria de tijolo, cantaria de calcário, ferro forjado, madeira (pinho) e vidro.





É  ponto de partida e de chegada dos comboios internacionais:
·     Sud-Expresso - Lisboa-Guarda-Salamanca-Valladolid-Burgos-Hendaye, com ligação ao TGV até Paris
·         Lusitânia Comboio Hotel - Lisboa-Cáceres-Madrid
No seu interior dispõe de uma galeria comercial, um supermercado Pingo Doce, alguns bares e um restaurante, um quiosque e uma agência de aluguer de viaturas.


Conta com ligação a diversos transportes da cidade (Carris, Metro, Táxis, etc)
Nas imediações encontra-se, ainda, o terminal de cruzeiros de Lisboa Santa Apolónia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O Portugal Fashion arrancou, este fim-de-semana, em Lisboa

A mensagem das andorinhas portuguesas de Rafael Bordalo Pinheiro

CASTELO DE SÃO JORGE - LISBOA