ADRIANO SOUSA LOPES - 1879-1944 - "EFEITOS DE LUZ" NO MUSEU NACIONAL DE ARTE CONTEMPORÂNEA - CHIADO







Pode vir conhecer a história e a obra do homem que sucedeu a Columbano na Direcção do Museu Nacional de Arte Contemporânea (1929 -1944). Primou pela ampliação do museu e pela pioneira política de aquisições de autores modernistas.

Adriano de Sousa Lopes (1879-1944), seduzido por artistas como Monet e Besnard, Paris (1903), foi pioneiro na arte do impressionismo português.





Pintor histórico de formação, alista-se como artista oficial do Corpo Expedicionário Português na Grande Guerra (1914-18).



Nos anos 1920, o excelente núcleo de retratos de Marguerite Gros, sua mulher, assegura-lhe um lugar original como retratista de imagens no feminino, no centro do modernismo português, embora sem o integrar.



É neste período que Sousa Lopes constrói séries impressivas de luz, em diferentes fases do dia, explorando a representação do movimento das ondas, assim como a faina dos pescadores, em enquadramentos escolhidos – são paisagens do litoral português, entre as praias da Caparica, Nazaré, Aveiro e Furadouro.


Um conjunto significativo das fases fundamentais da obra de Sousa Lopes integra a coleção do MNAC-MC, sendo esta a primeira exposição monográfica do autor no museu que dirigiu. Serão apresentadas cerca de 100 obras, entre as quais algumas pinturas inéditas pertencentes ao Musée de l’Armée de Paris, fundamentais para a compreensão do entendimento sensível e do expressivo realismo deste autor.  


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Moscatel World adoça a festa da Casa da Cerca, já este fim-de-semana.

O Portugal Fashion arrancou, este fim-de-semana, em Lisboa

CASTELO DE SÃO JORGE - LISBOA