Arroz carolino nas Jornadas do Património

Montemor-o-Velho vai participar nas Jornadas Europeias do Património 2015 com o tema do “Arroz Carolino do Baixo Mondego” – associado à lista de produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP).

A produção do arroz carolino tem marcado as vivências e os campos do Baixo Mondego, bem como o seu património, nomeadamente o património industrial.

Foi delineada uma rota que terá o seu início em Montemor-o-Velho, seguindo depois os participantes para uma quinta há muito ligada à produção do arroz, onde poderão observar maquinaria antiga empregue no seu tratamento.




Pretendendo acompanhar uma boa parte do ciclo do arroz, será aproveitado o facto de a rota se realizar na altura da colheita do arroz para se assistir in loco aos trabalhos agrícolas.



Na antiga fábrica “Patrão Rosete”, em Gatões, hoje pertença da Cooperativa Agrícola do Concelho de Montemor-o-Velho, vai ser possível visitar o laboratório da empresa, que ainda está funcional e replica, em tamanho miniatura, as máquinas que tratavam o arroz, com modelos a remontarem aos anos 40 do século XX, bem como será também visitar as máquinas originais da fábrica, que embora já não estejam a laborar, se encontram guardadas à espera de oportunidade para serem musealizadas.



Será ainda possível assistir, mesmo durante o fim-de-semana, à chegada de arroz e a algum tratamento inicial.




O dias 26 (sábado) destina-se ao público em geral, até ao limite de 20 pessoas por grupo (portanto 40/dia), e sujeito a inscrição prévia para o email flavio.imperial@cm-montemorvelho.pt ou através do número 239 687 300.


A iniciativa é promovida pela Direção-Geral do Património Cultural e dinamizada pela Câmara Municipal de Montemor-o Velho.
Conta com apoios da Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte, Cooperativa Agrícola de Montemor-o-Velho e Quinta da Boa Vista.



Fonte: Diário das Beiras

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O Portugal Fashion arrancou, este fim-de-semana, em Lisboa

A mensagem das andorinhas portuguesas de Rafael Bordalo Pinheiro

CASTELO DE SÃO JORGE - LISBOA