Aqueduto das Águas Livres e Reservatório Galeria do Loreto - À Descoberta do Património Industrial 2015








Construído entre 1731 e 1799, por determinação régia, o Aqueduto das Águas Livres constituiu um vasto sistema de captação e transporte de água, por via gravítica. Classificado como Monumento Nacional desde 1910 é considerado uma obra notável da engenharia hidráulica.

A concretização desta obra implicou o recurso às nascentes de água das Águas Livres integradas na bacia hidrográfica da serra de Sintra, na zona de Belas, a noroeste de Lisboa.

O trajecto escolhido coincidia, em linhas gerais, com o percurso do antigo aqueduto romano. A sua construção só foi possível graças a um imposto denominado Real de Água, lançado sobre bens essenciais como o azeite, o vinho e a carne.

O sistema, que resistiu ao terramoto de 1755, é composto por:
·         Um troço principal, de 14 km de extensão, com início na Mãe de Água Velha, em Belas, e final no reservatório da Mãe de Água das Amoreiras, em Lisboa
·         Vários troços secundários destinados a transportar a água de cerca de 60 nascentes
·         Cinco galerias para abastecimento de cerca de 30 chafarizes da capital

No total, o sistema do Aqueduto das Águas Livres, dentro e fora de Lisboa, atingia cerca de 58 km de extensão em meados do século XIX, tendo as suas águas deixado de ser aproveitadas para consumo humano a partir da década de 60, do século XX.

A extraordinária arcaria do vale de Alcântara, numa extensão de 941m, é composta por 35 arcos, incluindo, entre estes, o maior arco em ogiva, em pedra, do mundo, com 65,29 m de altura e 28,86 m de largura.


Esta é a sugestão de hoje, dos Lugares com Património!

Aqueduto das Águas Livres e Reservatório Galeria do Loreto


Lisboa
Lisboa
Aqueduto das Águas Livres e Reservatório Galeria do Loreto
Visitas guiadas/percursos orientados
25 de setembro
14h00 - 18h00
À Descoberta do Património Industrial 2015
Pretende-se dar a conhecer o património industrial português, salvaguardado por instituições museológicas, através de visitas temáticas específicas,incentivando a fruição de espaços culturais de génese industrial. Esta visita é desenvolvida em parceria com o Museu da Água.
público adulto
CMO - Museu da Pólvora Negra e Museu da Água, ADP
Visita orientada por técnicos do Museu da Água
T. 210 977 420 museudapolvoranegra@cm-oeiras.pt Inscrição obrigatória a partir de 1 de setembro Número máximo de participantes: 22

Local de encontro e partida: Fábrica da Pólvora de Barcarena, Pátio de Santa Bárbara. Participação gratuita. A CMO assegura o transporte, a partir de Barcarena.




Comentários

Mensagens populares deste blogue

O Portugal Fashion arrancou, este fim-de-semana, em Lisboa

A mensagem das andorinhas portuguesas de Rafael Bordalo Pinheiro

CASTELO DE SÃO JORGE - LISBOA